quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Dualidade

Dentro de nós há aspectos positivos e há também aspectos negativos. Nenhum de nós humanos é diferente nisso. Há virtudes e negatividades dentro de cada um. O que varia é a intensidade: assim como há seres altamente elevados espiritualmente, com um verdadeiro papel de enorme importância espiritual, há também, por outro lado, seres cujo conteúdo interno gera muita dor e sofrimento ao mundo, através de suas ações egoísticas.
A imensa maioria dos seres humanos deseja aproximar-se cada vez mais do bem. Ocorre aí que muitos de nós não temos muita consciência do que é esse bem. A humanidade muitas vezes distorce o bem e o mal, enredando-se em um ballet de distorções e tornando-se míope.
Seres altamente espiritualistas são sempre leves, suaves e sua presença gera paz e felicidade às outras pessoas. Isso  é fruto de uma consciência muito clara de seu propósito.
É importante termos discernimento sobre as consequências de nossas ações. Quando há esse discernimento, é como se nos colocássemos em segundo plano, de onde temos uma visão abrangente do todo, e então o estabelecimento de harmonia e leveza no ambiente se dá  naturalmente.
O poder do silêncio interno é como o poder das águas calmas de um rio. Toda negatividade externa ou interna que nos chega, rapidamente se dilui, enfraquece e desaparece, engolida pelas águas poderosas e ternas desse rio de silêncio interior que existe em nós.
Uma bela imagem meditativa, não?
Vamos praticá-la?
Viveka Kumari, terapeuta holística, rprota2010@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário